A ascensão do casamento infantil em Moçambique

Um artigo no site de mídia da Verdade detalha a ascensão do casamento infantil em Moçambique. A autora inicia o artigo falando de Luísa Cristóvão, 16 anos, abandonada em um campo de reassentamento em Macumba por seu marido e pai do filho de 10 meses. O artigo continua nos mostrando que a história de Luísa não é única e que o número de meninas de 15 e 16 anos está se casando, tendo filhos e sendo abandonado por seus maridos. Eles são então forçados a se defender, pois ficam sem apoio, educação ou recursos adequados. Enquanto a constituição da nação de Moçambique proíbe e criminaliza os casamentos forçados de crianças, meninas como Luísa são encontradas nessas situações porque suas famílias são capazes de contornar essa lei citando rituais locais tradicionais.

Quando vemos meninas em situações como essas, devemos perguntar: quando é que podemos pisar nos pés da cultura? Existe o mesmo direito de perguntar o que está levando os pais a se casarem com seus filhos antes de considerar a opção de educá-los. Enquanto o artigo descreve uma triste condição da vida de muitas meninas de Moçambique, ele não nos fala sobre as maiores pressões sociais no país.

Leia a história completa aqui…

This entry was posted in Estilo de Vida. Bookmark the permalink.

1 Response to A ascensão do casamento infantil em Moçambique

  1. Isaac Boruchowicz Boruchowicz says:

    É realmente triste ouvir que crianças tão jovens são forçadas a se casar com adultos. Tenho apenas 21 anos e não consigo imaginar como seria ser forçado em um casamento, menos para uma garotinha. Sei que, se o governo intervir, talvez haja uma mudança em cultura. Normalmente, essas meninas imediatamente começam a criar um filho e é uma loucura que uma menina jovem esteja constantemente criando os filhos do país por causa da cultura e aceitação de tirar a capacidade de uma mulher para escolher.

Leave a Reply