Ordem (Social) e Progresso (Democrático): Protesto em Angola

Quando é que o estado deve fazer a distinção entre a necessidade de ordem pública e permitir a liberdade de expressão? Há muita conversa sobre a greve de fome feita por ativistas em Angola, entre eles, o famoso rapper luso-angolano e ativista político Luaty Beirão, melhor conhecido como Ikonoklasta. O Jornal de Angola apresenta um artigo sobre como a polícia tem o dever de evitar o caos. Mas os manifestantes falaram que estavam questionando as práticas antidemocráticas do regime de dos Santos, distribuindo folhetos nas ruas. O governo angolano afirma que eles tinham como objetivo provocar um confronto violento com a polícia, a fim de gerar pressão internacional. Mas estados como Portugal não acreditaram nestas explicações e criticaram a prisão desses ativistas. O que pode ser um lutador da liberdade para uma pessoa pode ser um terrorista perigoso para outro. Neste caso, é difícil defender o estado angolano, visto que o José Eduardo dos Santos está no poder há mais de 36 anos. Embora se possa argumentar que o “arquiteto da paz” trouxe coisas positivas para o país, o consenso comum é que nenhuma pessoa hoje em dia deve manter o poder por tanto tempo. É minha opinião que mais países devem ajudar ativistas como Ikonoklasta e seu grupo, e fazerem cumprir as distinções entre ordem e liberdade. Isto apresenta um passo crucial para o processo de democratização que povos como o de Angola merecem.

luaty_beirao

This entry was posted in Mundo and tagged , , , , , . Bookmark the permalink.

1 Response to Ordem (Social) e Progresso (Democrático): Protesto em Angola

  1. Sana Hashim says:

    Eu acho muito interessante esta discussão sobre a fronteira entre liberdade de expressão e ordem social. Concordo com você, para um país como Angola é uma situação mais complicada porque a mesma pessoa está no poder há 36 anos. Então, eu acredito que o povo angolano deve protestar porque estão lutando para democracia que eu acho é um direito humano. Também, o governo da Angola tem sua própria agenda de continuar fazendo práticas antidemocráticas e então ordem social não é a única razão que o governo tem para parar os manifestantes. Ao mesmo tempo, como você diz, é importante para países definir claramente as distinções entre liberdade e ordem.

Leave a Reply